4 de out de 2011

Cap 17 - Causa e Efeito - Parte 5

A JUSTIÇA NÃO ESPERA

“54E DIZIA TAMBÉM À MULTIDÃO: QUANDO VEDES A NUVEM QUE VEM DO OCIDENTE, LOGO DIZEIS: LÁ VEM CHUVA, E ASSIM SUCEDE. 55E, QUANDO ASSOPRA O SUL, DIZEIS: HAVERÁ CALMA; E ASSIM PROCEDE. 56HIPÓCRITAS, SABEIS DISCERNIR A FACE DA TERRA E DO CÉU; COMO NÃO SABEIS ENTÃO DISCERNIR ESTE TEMPO? 57E POR QUE NÃO JULGAIS TAMBÉM POR VÓS MESMOS O QUE É JUSTO?” LUCAS 12:54-57

O amor espera, ele tem que aguardar. Mais precisamente, ele espera a manifestação de dentro para fora, pois ninguém pode ser obrigado a amar.

Mas a justiça, por outro lado, pode precipitar acontecimentos. Ela é irreverente, na hora que tem que bater na porta bate, não espera pedir, afinal, tem que se cumprir a lei. Quando a justiça chega, porque semeamos inadequadamente, ela não pede licença, não, ela vem! Não diz assim: Olha, você se prepara porque eu vou chegar. Por que lá atrás, em um tempo específico, você fez isto,... Quem dera (risos), não tem nada disto não. Cumpriu o período, venceu a promissória, a pessoa enfrenta. Com choro ou sem choro ela chega. Isto é justiça.

Se de um lado o amor emerge de dentro para fora, a justiça impõe de fora para dentro.

Ela vem e pega mesmo, os resultados não se fazem esperar. Ninguém pode trair o tempo ou enganar o espírito de sequência da natureza. Ao seu tempo cada qual acabará ceifando, a resposta pode entrar tranquilamente em um processo de equações e projeções matemáticas. Existe o tempo de plantar como existe o de colher, e o parâmetro de tempo de quem compreende o evangelho, de forma aprofundada, não é entre o berço e o túmulo, esse é para materialista. 

O parâmetro nosso é mais abrangente, ele abre-se antes do berço e coloca-se após o túmulo.

Sendo assim, é muito comum, às vezes, um fato visitar determinada criatura na vida e ela nem saber explicar o por que daquele acontecimento. E até questionar o porque daquilo estar lhe acontecendo. É coisa dela do passado, algo que já passou, venceu a etapa da encarnação, e agora surgiu essa e pegou mesmo.

Assim, o fracasso e a desilusão, a esterilidade e a dor vão chegando bem devagar, e acordando a alma dormente para as realidades eternas, para o reajustamento.

Todos os males que atingem o homem ou a coletividade humana tiveram os seus prenúncios.

Porque a natureza não age aos saltos, seja no plano físico ou no plano moral. As enfermidades do corpo, como as da alma, por exemplo, são consequências de causas alimentadas por nós durante largos anos. Essa é a origem das nossas amarguras.

Entretanto, só depois que nos sentimos atingidos é que despertamos alarmados, chorando, soluçando, gritando, bradando em vão. Sim, em vão, porque desde que se produz uma causa, até que se manifestem seus efeitos esses hão de persistir até se esgotarem, a despeito de todas lágrimas, soluços e murmurações.

O mestre Jesus adverte o homem acerca dos perigos que o ameaçam (“E dizia também à multidão: quando vedes a nuvem que vem do ocidente, logo dizeis: lá vem chuva, e assim sucede. E, quando assopra o sul, dizeis: haverá calma; e assim procede. Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo? Lucas 12:54-57). A grande verdade é que se o homem compreender os “sinais dos tempos”, no que diz respeito aos valores espirituais, como conhece os indícios das tempestades, pela observação das nuvens e a direção dos ventos, com certeza inúmeros sofrimentos poderão ser poupados.

Situamo-nos dentro daquela linha natural de causas e efeitos a que não podemos fugir. 

Porque as leis do universo são perfeitas e todos os efeitos presentes já estão calcados em sementes já lançadas no solo do próprio encaminhamento da evolução. 

É como a questão das profecias. Toda profecia surge em cima das causas, não em cima dos efeitos. E os próprios acontecimentos que se relacionam com as revelações das escrituras sagradas, fugindo a qualquer ideia de eventualidade, resultam de programações elaboradas nos milênios por aqueles que, em nome do criador, se responsabilizam pelos mecanismos evolutivos. Uma vez estruturadas as causas surge o efeito para completar o processo da germinação. 

E a sabedoria está em sabermos prevenir!

Em cima de valores já lançados nos terrenos da vida, paralelamente ao nível das probabilidades (de algum modo calcadas em uma realidade matemática), nem tudo é finalístico. Porque a cada minuto alteram-se as ressonâncias do que vai acontecendo, razão pela qual nem toda profecia pode ser registrada de forma absoluta.

Sem contar que no momento em que uma criatura é sensibilizada e modifica a sua linha íntima, com a visualização, por exemplo, de novos padrões, é como se nessa hora esses valores novos se somassem ao seu psiquismo. A cada dia novas oportunidades surgem para todos e sempre podemos mudar o nosso destino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...