15 de mar de 2012

Cap 22 - Felicidade é Agora - Parte 2

FELICIDADE SEMPRE


“16REGOZIJAI-VOS SEMPRE. 17ORAI SEM CESSAR. 18EM TUDO DAI GRAÇAS, PORQUE ESTA É A VONTADE DE DEUS EM CRISTO JESUS PARA CONVOSCO.” I TESSALONISSENCES 5:16-18  

“NÃO ESTEJAIS INQUIETOS POR COISA ALGUMA; ANTES AS VOSSAS PETIÇÕES SEJAM EM TUDO CONHECIDAS DIANTE DE DEUS PELA ORAÇÃO E SÚPLICA, COM AÇÃO DE GRAÇAS.” FILIPENSES 4:6

Em quase toda parte encontramos pessoas caminhando cabisbaixas, entristecidas, semblante fechado. Agoniadas sem motivo ou exaustas sem razão aparente.

Transitam nos consultórios médicos e recorrem a casas religiosas suplicando prodígios. Isolam-se na inutilidade e choram de tédio. Confessam desconhecer a causa dos males que as assoberbam. Clamam de forma infundada contra o meio em que vivem e ao invés de situarem a mente no caminho natural da evolução atiram-se aos despenhadeiros da margem. Puxa vida, que a terra hospeda multidões de companheiros endividados, tanto quanto nós mesmos, todos sabemos e não é novidade para ninguém. Não há motivos para alarde, tudo o que acontece no orbe é inevitável, urge não darmos aos acontecimentos contrários à harmonia atenção alguma além da necessária. Como acontece com aquele que consome alimento deteriorado, se enchemos o cérebro de preocupações descontroladas nos inclinamos de imediato ao desequilíbrio. Quem elegeu Jesus por mestre tem a obrigação de andar no mundo, ainda conturbado e sofredor, sem gastar tempo e vida em questões supérfluas, prosseguindo firme na estrada de entendimento e serviço que o Senhor nos traçou.

Existem uma enormidade de criaturas que vivem quase que exclusivamente presas ao passado. Parece que não estão dispostas a serem felizes hoje, aparentam ter perdido o brilho nos olhos. “Eu já fui muito feliz em uma determinada época da minha vida”, ou “depois que me aconteceu aquilo, depois que perdi aquela pessoa em minha vida eu nunca mais tive alegria”. Estes são exemplos simples de pensamentos exteriorizados por um agrupamento de saudosistas, que pelas mais diversas razões prendem-se às retaguardas da própria existência, deixaram as esperanças nos pretéritos do caminho.

Para essas pessoas o presente representa em certos ângulos escombros do desmoronamento de valores que mantinham a luz acesa, trazendo obscuridade à luz do entusiasmo.

É chegada a hora de retificar certas idéias, se eu me ligo só no ontem eu me prendo.

Outros insistem em manterem-se presos às linhas de ansiedade direcionadas ao futuro. Também não são felizes hoje, a felicidade sempre depende de algo, para eles representa fim, quando na verdade deveria constituir-se em meio. Idealizam a felicidade como algo do amanhã, colocam-na como uma consequência, resultante da realização de certo objetivo ou a dissolução de algum problema.

“Eu serei feliz quando passar naquele concurso, quando tiver meu carro zero, quando morar sozinho, quando mudar de emprego, quando comprar minha casa, quando conhecer meu grande amor, quando não sentir mais dores na coluna...”

Em outras palavras, serão felizes quando. Apenas se esquecem que a vida é uma constante dinâmica, que ao realizarmos um objetivo imediatamente traçamos novas metas e que após a solução de um problema outros chegam a exigir-nos atenção e providências. Por isso, recado importante a dizer é que quanto mais nós formalizamos a nossa alegria em uma pretensa conquista de bem estar lá na frente mais difícil fica a nossa caminhada, porque é sabido que quem coloca a felicidade como destino não consegue ser feliz durante o percurso.

O tempo é uma corrente que flui dos eventos temporais percebidos pela consciência. Para o homem, surge como uma sucessão de eventos reconhecidos e diferenciados. No entanto, à medida que o homem ascende e progride interiormente a visão amplificada dessa sucessão de eventos é tal que ele pode discerni-la cada vez mais na sua totalidade. Aquilo que anteriormente surgia como uma sucessão de eventos passa a ser visto como um círculo inteiro e perfeitamente relacionado. O que é que eu estou querendo dizer? Que esses dois grupos a qual me referi são de criaturas que não sabem viver o momento atual, não são felizes no presente, vivem apenas em patamares subjetivos.

Prendendo-nos de forma rígida ao passado ou nos limitando às diretrizes do futuro não vivemos, pois viver é um ato do presente, só podemos viver o agora.

A gente precisa parar de sonhar com a felicidade em um plano beatífico para começar a vivê-la e senti-la agora, a felicidade tem que ser experimentada por nós. Só vamos ser felizes experimentando a felicidade. E mais do que isso, precisamos aprender a sair da vida relativa do agora para vivermos o eterno, ou melhor, aprender a viver o agora, porém, na moldura da eternidade. Na eliminação da esteira de espaço e de tempo a pessoa vive o eterno, e vivemos o eterno quando acabamos com as aflições, quando sequenciamos sem comparações, sem dissensões, cada um fazendo o seu papel na pauta própria do que é capaz de operar.

No fundo do coração, todos nós alimentamos direitos e propostas, sonhos e esperanças, e temos no mínimo o direito de sermos felizes. E para ser feliz ninguém precisa estar na ponta da jornada, no ápice da realização. O universo seria um poço de inquietudes se esperássemos a felicidade somente lá na frente.

Quanto mais alguém esperar pela felicidade somente lá na frente mais difícil fica a sua caminhada, a harmonia não depende de uma correria ou chegada mais rápida ao objetivo. Esse objetivo pode ser tranquilamente encontrado no agora, para isso basta um ajuste e coerência entre o que se sabe e o que se faz.

Claro que devemos sonhar e investir no futuro, mas é imperioso encontrarmos a felicidade no agora, porque ela se formaliza no minuto em que vivemos. Vamos trabalhar com carinho para a nossa felicidade hoje, podemos ser felizes agora, sem essa de ficarmos apavorados com o que virá. Levantemos os olhos e sigamos em frente começando hoje mesmo, afinal somos chamados a viver um só dia de cada vez sempre que o sol se levanta. Sem essa de comparações com os outros, você precisa saber se está bem no patamar em que se encontra, porque o estar ajustado já define uma criatura mais tranquila e mais segura.

Um comentário:

  1. Tio marco, muito bom..achei bem pertinente tudo o que vc escreveu neste topico. Parabens.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...