4 de dez de 2012

Cap 30 - Oração é Poder - Parte 2


ESSÊNCIA

“VIGIAI E ORAI, PARA QUE NÃO ENTREIS EM TENTAÇÃO; NA VERDADE, O ESPÍRITO ESTÁ PRONTO, MAS A CARNE É FRACA.” MATEUS 26:41  

“E DISSE-LHES: POR QUE ESTAIS DORMINDO? LEVANTAI-VOS, E ORAI, PARA QUE NÃO ENTREIS EM TENTAÇÃO.” LUCAS 22:46

Algumas pessoas, para não dizer muitas, não oram porque acham que não precisam. "Orar? Prá quê? Não preciso de nada. Minha vida está uma beleza." Outras tantas consideram-se pecadoras demais para orar. Tudo bem, cada qual tem suas escolhas, só que acreditamos que em ambos os casos o que existe é desinformação e equívoco. Com relação ao primeiro grupo, o que podemos dizer é que o próprio Cristo orava. E não era pouco. Quanto ao segundo, parece que falta informação acerca da prece.

A prece consiste em uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em comunicação com o ser a quem se dirige. É empregada em três situações: pode ter por objetivo um pedido (aliás, geralmente oramos para pedir), externar agradecimento ou glorificação. Ou seja, pedir, louvar, bendizer, glorificar e agradecer.

Tanto podemos orar por nós mesmos como por outrem, pelos vivos (espíritos como nós, encarnados) ou pelos mortos (espíritos no plano espiritual). As preces feitas a Deus são recebidas pelos espíritos incumbidos da execução de suas vontades.

É interessante compreendermos a ação da prece. O modo como se dá a transmissão do pensamento, quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo, quer na situação em que apenas lhe chegue o nosso pensamento.

Dá-se que situamo-nos mergulhados em um fluido universal que ocupa todos os espaços e todos os seres, quer sejam estes encarnados ou desencarnados, tal qual nos achamos neste mundo dentro da atmosfera que a tudo envolve. Esse fluido é o veículo do pensamento, como o ar é o veículo do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as do fluido universal se estendem ao infinito. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão.

Dirigido o pensamento para um ser qualquer, no planeta Terra ou fora dele, de encarnado para desencarnado ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece entre um e outro transmitindo de um ao outro o pensamento, como o ar transmite o som. A energia da corrente guarda proporção com a do pensamento e da vontade. É assim que os espíritos ouvem a prece que lhes é dirigida, qualquer que seja o lugar onde se encontrem, é assim que espíritos se comunicam entre si, que nos transmitem suas inspirações e que as relações se estabelecem.

Rezar é repetir palavras segundo fórmulas determinadas. É mais ou menos como a produção de eco que a brisa dissipa, como sucede à voz do sino que no espaço se espraia e morre. Supersticiosos e religiosos tradicionais rezam. À época de Jesus fariseus rezavam em público para serem vistos, admirados e louvados.

A prece é bem diferente disso. Não é movimento mecânico de lábios, muito menos disco de fácil repetição no aparelho da mente. Prece é vibração, energia, poder.

Orar é sentir e o sentimento é intraduzível. Não há palavra que o defina com exatidão e o mais rico vocabulário do mundo é pobre para traduzir a grandeza de um sentimento. Não há fórmula que o contenha, não há molde que o guarde, não há modelo que o plasme. O sentimento é, por natureza, incoercível. Como um  relâmpago prenunciando temporal, o sentimento mexe com o campo da nossa consciência e num dado instante penetra o âmago do infinito.

Quem o retém? Quem ousa interpretá-lo? Quem o pesa e o mede? Só Deus. Ninguém mais. Só Deus o conhece. Só Deus o julga,  pois só Deus sabe o que são essas vibrações de nossa alma, quando para ele apelamos na linguagem misteriosa do sentimento. É bonito compreender que orar é irradiar para Deus firmando nossa comunhão com ele. A oração é o poder dos fiéis e quem crê  ora a Deus. E difícil é compreender aquele que crê em seus colóquios íntimos com a divindade. Semelhante estado psíquico descortina forças ignoradas, revela nossa origem divina e nos coloca em contado com as fontes superiores. Dentro dessa realização o espírito, em qualquer forma, pode emitir raios de espantoso poder.

Sem querer criticar, mas os que apenas suplicam podem ser ignorantes e os que louvam podem ser somente preguiçosos. Assim, por prece devemos interpretar todo ato de relação entre o homem e Deus, e em tudo deve a oração constituir nosso recurso permanente de comunhão ininterrupta com o supremo construtor do universo. Nesse intercâmbio incessante as criaturas devem apresentar ao Pai, no segredo das íntimas aspirações, os seus anelos e esperanças, dúvidas e amargores. É necessário, portanto, cultivar a prece para que ela se torne um elemento natural da vida, como a respiração. É indispensável conheçamos o meio seguro de nos identificarmos com o altíssimo.

A prece deve ser profunda porque é a alma que tem que elevar-se para o criador, aos planos de cima, a fim de lá chegar limpa e radiosa de esperança e amor. E com mais um detalhe essencial: na oração a gente não tem que querer sensibilizar o criador, de forma alguma, porque ele já é sensível por natureza.

A prece, entre outras coisas, representa componente de projeção. Se nos achamos debaixo de uma prova difícil, complicada, e dentro desse labirinto cultivamos a humildade e paciência, e buscamos orar, buscamos fazer uma ponderação, pela oração passamos a abrir o contexto e nos agasalhamos. E essa oração nos pega e nos lança, com naturalidade, para os pontos de misericórdia.

Isto que estamos falando não é apenas estudo ou teoria, isto tem uma função dinâmica, operante, concreta no nosso dia a dia. Portanto, você que tem estudado conosco, quando estiver envolvido em momentos difíceis, naquele verdadeiro complexo de acontecimentos intrincados, e falar: "tudo bem, Marco Antônio, você diz para orar, mas hoje eu não posso orar porque estou muito aborrecido, ou cansado", vamos dizer para você assim: "pare com isso e não se entregue. Nem esmoreça. Fique de pé e ore com equilíbrio e substância. Ore com o melhor dos seus sentimentos. Se tem gente envolvida, traga essa criatura nominalmente ao seu pensamento: que eu seja feliz no trato com essa pessoa, que eu tenha força íntima para administrar." E continue dando seu melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...