8 de dez de 2012

Cap 30 - Oração é Poder - Parte 3


ORAI

“VIGIAI E ORAI, PARA QUE NÃO ENTREIS EM TENTAÇÃO; NA VERDADE, O ESPÍRITO ESTÁ PRONTO, MAS A CARNE É FRACA.” MATEUS 26:41 

 “E DISSE-LHES: POR QUE ESTAIS DORMINDO? LEVANTAI-VOS, E ORAI, PARA QUE NÃO ENTREIS EM TENTAÇÃO.” LUCAS 22:46

O cordeiro divino, em referência a dois dos três andares da nossa estrutura mental (arca), lança o imperativo do vigiai e orai, no andar de baixo (subconsciente) e no terceiro (superconsciente), respectivamente.

Vigilância é a capacidade de estar atento diante das experiências da vida. E estando atento consegue-se perceber aqueles pontos da intimidade que são frágeis, bem como aqueles que são fortes. Vigiar é manter-se acordado e em cada assunto da vida saber administrar e tentar enxergar. Preste atenção, vigiar é aqui embaixo e tem dois objetivos. O primeiro é  evitarmos as emersões do nosso passado delituoso e comprometedor. Segurar as pontas em uma permanência sólida quanto à invasão dos padrões negativos, pois na emersão desses valores já incrustados existe força viva que se deixar toma conta.

O segundo é manter-se acordado, atento, precaver-se, de modo a mantermos a segurança íntima quando o impacto vier, mantermos a serenidade diante das provas diversas e dificuldades que a vida oferece. Ou será que já estamos quites com a lei no que tange os nossos débitos para com a harmonia universal?

Eu costumo brincar dizendo que quem não tem pecados que atire o primeiro tijolo. Pois então, tirando a brincadeira de lado não somos criaturas puras, sem máculas, sem pecados, daí a necessidade de mantermos a atenção para que não venhamos a ser laçados negativamente pelas situações adversas. Então, fica claro que temos que vigiar a porta de baixo (subconsciente) para cima e, ao mesmo tempo, orar abrindo as portas de cima (superconsciente) para baixo.

Se o vigiai é embaixo, o orai é em cima. Ficou claro? O orai é lá, em cima, projetando-nos em uma identificação com os planos superiores na captação de novos padrões para o nosso crescimento consciente. Temos que vigiar o que dimana de baixo de nossa tendência inferior e manter a serenidade diante das dificuldades que nos chegam e nos coagem, mas que ainda são necessidade para nós. E, também, orar para buscarmos a iluminação e o esclarecimento, manter a segurança inabalável com o Senhor. É preciso termos um vínculo com os planos superiores como componente de evolução. Analise comigo, não precisamos ir longe para concluir que considerada a bagagem das imperfeições humanas a redenção das criaturas nunca se efetuará sem a misericórdia do criador.

E não podemos realizar algo, o que quer que seja, dissociados do amparo e da assistência em Deus. Ou será que isso é possível e eu estou enganado? Não, tenho certeza que não. Temos que orar. Nunca poderemos enumerar todos os benefícios da oração. Cada prece do coração constitui emissão eletromagnética de relativo poder.

Não é a prece que vai fazer você mudar sua vida, no entanto a prece pode te auxiliar enormemente nessa empreitada de mudança. Você está situado em um piso. Quando ora você se eleva e vai lá em cima, e pode subir inúmeros degraus. A prece acaba e você volta para o seu cantinho aqui de origem. Mas volta com toda a soma de caracteres vibracionais que captou. Ou seja, você chega lá pela prece e angaria padrões informativos e vibracionais, e não fica lá.

E uma vez que essa subida em vibrações te mostrou o caminho, ângulos especiais na sua visualização interior, quem sabe você vai ter mais facilidade de galgar cada degrau dessa escada e conquistar, lenta e gradativamente, patamares outros na sua evolução, e, ao mesmo tempo, desconectar-se das faixas inferiores?!

A oração tem sentido de busca e aplicação dos componentes novos. A misericórdia nos arrebata e nós retornamos para realizar a conquista efetiva. Temos que orar de maneira objetiva para que se incorpore em nós os novos padrões.

Se soubermos aplicar o que arregimentamos, se soubermos aplicar o plano da prece, recebido em um estudo ou leitura, em uma proposta que se revela para nós, a nossa vontade, que alimenta a oração, é capaz de vencer a insinuação do automatismo nosso que luta para nos manter no patamar em que estamos e evitar a nossa ascensão. Se mantivermos esse estado mental elevado, pondo em prática o que aprendemos, subimos e damos passos extraordinários na vida.

Sem a prece, sem a oração, vai ser muito difícil alguém atingir as metas a que se propõe. Porque todo trabalho de crescimento efetivo tem que se iniciar pela fertilização do campo mental. A prece faz o papel de abertura dos padrões psíquicos e fertiliza os potenciais da alma. Já reparou que tem gente que parece viver em estado de oração? Pois é, é preciso muito discernimento nos tempos atuais. Se formos olhar apenas as reações da vida, do tempo e dos fatos a gente praticamente não faz nada. Entretanto, nossa luta não é de divagação agora.

É de repouso na prece, nas disposições sinceras de aprender com equilíbrio e segurança e de operar com muito carinho e paciência na área que nos é competente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...