3 de jan de 2013

Cap 31 - A Felicidade e a Espada (2ª edição) - Parte 3


MESMO NA DOR

“NÃO SE TURBE O VOSSO CORAÇÃO; CREDES EM DEUS, CREDE TAMBÉM EM MIM.” JOÃO 14:1

“DEIXO-VOS A PAZ, A MINHA PAZ VOS DOU; NÃO VO-LA DOU COMO O MUNDO A DÁ. NÃO SE TURBE O VOSSO CORAÇÃO, NEM SE ATEMORIZE.” JOÃO 14:27

“CHEGADA, POIS, A TARDE DAQUELE DIA, O PRIMEIRO DA SEMANA, E CERRADAS AS PORTAS ONDE OS DISCÍPULOS, COM MEDO DOS JUDEUS, SE TINHAM AJUNTADO, CHEGOU JESUS, E PÔS-SE NO MEIO, E DISSE-LHES: PAZ SEJA CONVOSCO.” JOÃO 20:19

As almas imaculadas não povoam a Terra ainda e cada berço é o início de viagem laboriosa para a alma necessitada de experiência. Sejamos sinceros, criatura humana alguma na experiência terrestre poderá marchar constantemente sob um céu sem nuvens e não passará no mundo sem tempestades e nevoeiros, sem o fel de provas ásperas ou o assédio das tentações.

Mesmo buscando o bem, jornadearemos todos entre pedras e abismos, pantanais e espinheiros. Não é intenção abordarmos o tema felicidade de forma negativa, mas lembremo-nos que o mestre a ninguém prometeu avenidas de sonho e horizontes azuis no planeta. Sabedor de que a tempestade das contradições humanas não pouparia nem a ele próprio, recomendou-nos o "não se turbe o coração." Vamos abrir o coração para recolhermos a vontade do criador, pois o coração puro e destemido é garantia de consciência limpa e reta, e quem dispõe de consciência assim vence toda a perturbação e treva por trazer em si mesmo a luz irradiante para o caminho da vida plena.

A vida é sábia demais e de uma beleza extraordinária. Por mais rude e difícil seja a nossa tarefa no mundo não nos atemorizemos e façamos dela o nosso caminho de progresso e renovação. Embora rujam trovões em torno do teu caminho, tranquiliza o coração, confia e segue em paz na direção do bem maior.

Nada de carregar no pensamento o peso morto da aflição inútil. Não adianta nada e apenas agrava a situação. Por mais sombria a estrada a que seja conduzido, enriqueça-se com a luz do esforço no bem, porque nada existe no mundo, nada mesmo, que não possa transformar-se em respeitável motivo de trabalho e alegria. E ninguém está deserdado de oportunidades em favor de sua melhoria. Ponha algo na sua cabeça, a vida que você está vivendo pode não ser a vida dos seus sonhos, mas ela pode ficar bem melhor do que está, depende de você.

O viver de qualquer modo é para todos. É algo corriqueiro, comum, normal, mas o viver em paz consigo mesmo, por outro lado, é diferente, é conquista para poucos. Independente dos objetos de tuas dificuldades e aflições guarda contigo que a paz é a segurança da vida, motivo pelo qual precisamos aprender a não perder a paz. Ela é fundamental, mas tão fundamental em nossa caminhada, que por ocasião do nascimento de Jesus, na manjedoura, as vozes celestiais, após o louvor aos céus, expressaram votos de paz à Terra. E não só isso, mesmo depois da ressurreição, voltando de forma gloriosa ao convívio das criaturas, antes de traçar qualquer plano de trabalho, disse o Cristo aos discípulos espantados, após pôr-se no meio deles: "paz seja convosco".

O que vou dizer agora merece muito destaque. Ante a insegurança, que quer empalidecer os nossos valores, é preciso buscar a luz e a harmonia íntimas para que em meio aos problemas não venhamos perder a alegria futura. Todo caos é resolvido pela misericórdia divina e aquele que deixar ofuscar a luz de amar em função dos problemas vai se defrontar com problemas ainda maiores. Temos que laborar o cotidiano buscando evitar que os momentos infelizes assumam o comando da direção, que as dificuldades assumam a tônica de nossa vida.

Saber administrar e aprender a sorrir ante os padrões que a existência nos oferece é conquista da maior importância. É um desafio para os dias de hoje, precisamos aprender a conviver assim. Esse negócio de reclamar da dor de cabeça, fechar a cara mediante a constatação de um problema, não querer conversar com ninguém quando algo nos aborrece, tem que ser alterado. É procedimento ineficaz que apenas evidencia a nossa fragilidade íntima. Quanto mais a gente consegue entender o mecanismo da evolução, e manter viva a oportunidade de amar e sorrir, mais adquirimos forças para passar pelos impactos. Não estou dizendo que é fácil, mas que temos que exercitar dessa forma. 

Esta é chave da questão, vamos aprender a sorrir com a grandeza e a beleza da vida. Começando a sorrir debaixo das situações menos felizes nós começamos a angariar a felicidade real e aquele que não aprender a sorrir nos momentos de dificuldade dificilmente usufruirá do direito de sorrir com legitimidade.

Em nosso aprendizado terrestre atravessamos dias de inverno ríspido. Caminheiros eternos na estrada da evolução somos espíritos encarnados submetidos a provas que devemos vencer. Obstáculos a gente tem, porém não significa que tenhamos que naufragar dentro daquele ponto ou problema. Os problemas não surgem para nos desanimar, e sim para nos mostrar a grandeza da vida. Nós vencemos uma etapa e outras surgem. E se tirarmos todos os espinhos que nos envolvem acabamos por nos distanciar dos valores espirituais em razão das nossas deficiências. Já parou para pensar nisso? A jornada tem dessas coisas. E mais, sendo pobre ou rico, saudável ou doente, forte ou fraco, toda situação é efêmera e passará como passam todos os dias e todas as noites.

Se temos adversidades, que é normal, o problema é que em grande parte das vezes deixamos que as intempéries empalideçam o nosso brilho e enfraqueçam a nossa energia, e aí fica complicado. Sendo assim, quando surgir um daqueles dias pesados e difíceis em nosso horizonte, compelindo-nos à inquietação e à amargura, não será proibido chorarmos. Vamos chorar, sim, mas também não vamos nos esquecer da divina companhia de Jesus. O mundo é um grande laboratório e longe de expectativas negativas saibamos nos abastecer nos momentos felizes.

A época em que estamos vivendo está muito difícil e complexa e vai haver ocasiões em que é indispensável recorrermos às provisões armazenadas no íntimo, nas colheitas dos dias de equilíbrio e abundância. Portanto, não vamos deixar as paixões nos envolverem tanto nos aspectos da negatividade, nem deixar os momentos importantes que vivemos se perderem. Não vamos deixar o nosso deserto ficar sem um oásis, porque acontece de estarmos tão atribulados, desanimados e tristes e passamos de olhos fechados pelo oásis, de tão preocupados com a etapa a seguir, e não nos dessedentamos. E precisamos desses bons momentos vividos para recompormos o destino e a  força.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...