20 de dez de 2013

Cap 40 - A Pesca Maravilhosa - Parte 4

O EDUCADOR

“1E ACONTECEU QUE, APERTANDO-O A MULTIDÃO, PARA OUVIR A PALAVRA DE DEUS, ESTAVA ELE JUNTO AO LAGO DE GENESARÉ; 2E VIU ESTAR DOIS BARCOS JUNTO À PRAIA DO LAGO; E OS PESCADORES, HAVENDO DESCIDO DELES, ESTAVAM LAVANDO AS REDES. 3E, ENTRANDO NUM DOS BARCOS, QUE ERA O DE SIMÃO, PEDIU-LHE QUE O AFASTASSE UM POUCO DA TERRA; E, ASSENTANDO-SE, ENSINAVA DO BARCO A MULTIDÃO. LUCAS 5:1-3

O professor trabalha com o aluno. Entende-se de princípio que ele já tem algum conhecimento que o aluno não tem ainda. Todavia, aquele que ensina também aprende. Isso mesmo, o professor também aprende muito durante a aula.

É comum as pessoas acharem que por ele estar na frente ensinando ele não está aprendendo nada, que ele só está ensinando. Claro que aprende, pois o professor também está embasado na mesma proposta educativa. O regime da educação, toda essa metodologia pedagógica, é algo muito bonito e cheio de nuances e vai pegando cada um no seu respectivo patamar. É comum alguém situar-se como aluno de um terceiro e, ao mesmo tempo, professor de um outro.

Muitas vezes o professor ou o orador é um necessitado tão grande ou maior que os alunos e ouvintes. Normalmente um professor é aquele que sabe estudar, ele está sempre em processo de aprimoramento, de melhoria de recursos, não só de recursos informativos como técnicos para desempenhar bem o seu trabalho. E vale lembrar que o título mais extraordinário de um mestre ou de um professor é o reconhecimento natural de ser discípulo ou aluno.

A multidão estava apertando Jesus para ouvir a palavra de Deus. O que acontece até hoje, uma vez que existe uma necessidade grande, uma carência por parte da multidão quanto ao conhecimento de valores de natureza espiritual. E quem não tem fome deste tipo num mundo tão conturbado e instável?

Ninguém hoje pode alegar falta de oportunidade para aprender e evoluir. Esse tipo de alegação é inaceitável nos dias atuais, conversa mole que tem que ser desconsiderada. Não dá para dar crédito.

Como todos nós morremos e renascemos num processo intérmino, como nos anos letivos, em que o aluno para evoluir encerra um período e recomeça outro, com toda certeza muitos de nós já participamos de inúmeras atividades de estudos lá atrás, em reencarnações passadas, em que os padrões da mensagem crística foram implementados em nossos corações. É possível que os tenhamos aceito com todo carinho, porém, é provável que na dinâmica aplicativa desses valores nós tenhamos falhado, deixando que os lances marcantes da nossa imperfeição vigorassem nas estratégias aplicadas no próprio destino.

Mas o bonito de tudo isto é que aqueles que não foram felizes no passado, que até mesmo perderam a chance de serem orientados de forma positiva e segura lá atrás podem ser orientados por outros personagens hoje. Sabe porquê? Porque Jesus, na figura da essencialidade evangélica, continua entrando nos barcos para ensinar a multidão. Para levar esclarecimento aos que buscam luz. E existe uma linha de gradação no sentido de que aqueles que não souberam aproveitar a chance ontem quem sabe estão aproveitando no dia de hoje?! 

Quem sabe estão arregimentando, estão se preparando e crescendo. Esses elementos chegam para serem devidamente orientados por outros no contexto da oportunidade que se repete para cada um de nós, conforme a misericórdia divina.

Quando investimos em um professor nós investimos porque vemos nele uma autoridade. E quando mais ele conhecer mais fertilidade pode apresentar no tocante às necessidades do educando. Esse é um ponto essencial a ser observado.

Sua estrutura de comunicação tem que ser compatível com a linha receptiva do aprendiz. É aí que reside toda a grandiosidade do processo da aprendizagem.

O professor pode até ser ótimo, mas pode acontecer dele falar e ninguém entender absolutamente nada. Tem que haver uma linha de conexão. Se ele não souber envolver a matéria ele conta caso o tempo todo durante a aula e acha que ensinou, e não ensinou. Chega em casa e diz "minha aula hoje foi uma beleza", e não foi nada. Foi até difícil de aguentar. Não existe muita gente que manipula multidões e no fritar dos ovos não transmite nada? Não tem disso?

Então, precisamos saber o que estamos fazendo e não podemos nos desvincular em hipótese alguma do plano operacional. Nós, que vivemos envolvido com os estudos, temos que fazer o nosso trabalho com tranquilidade e humildade, principalmente levando conteúdo, que é o que está sendo exigido hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...