29 de mar de 2014

Cap 42 - A Tentação (2ª edição) - Parte 2

ENTENDENDO A TENTAÇÃO

“12BEM-AVENTURADO O HOMEM QUE SUPORTA A TENTAÇÃO; PORQUE, QUANDO FOR PROVADO, RECEBERÁ A COROA DA VIDA, A QUAL O SENHOR TEM PROMETIDO AOS QUE O AMAM. 13NINGUÉM, SENDO TENTADO, DIGA: DE DEUS SOU TENTADO; PORQUE DEUS NÃO PODE SER TENTADO PELO MAL, E A NINGUÉM TENTA.” TIAGO 1:12-13

“10COMO GUARDASTE A PALAVRA DA MINHA PACIÊNCIA, TAMBÉM EU TE GUARDAREI DA HORA DA TENTAÇÃO QUE HÁ DE VIR SOBRE TODO O MUNDO, PARA TENTAR OS QUE HABITAM NA TERRA. 11EIS QUE VENHO SEM DEMORA; GUARDA O QUE TENS, PARA QUE NINGUÉM TOME A TUA COROA.” APOCALIPSE 3:10-11

Você leu com calma os versículos referenciados acima? Não são poucas as pessoas que estranham a promessa de tentações, no entanto, uma coisa é certa, a tentação faz parte da linha de ação natural da vida. Inerentes ao processo de crescimento, as tentações devem ser consideradas experiências imprescindíveis, e caminhar do berço ao túmulo sob as suas marteladas é algo natural.

Não há como atravessar as estradas do mundo isento delas. Raros são aqueles que poderão afirmar que desconhecem as tentações e os riscos do nevoeiro na estrada evolutiva. Para ser mais conciso, não se pode viver no mundo sem a tentação. Não há como passar para um estágio seguinte sem sofrer a insinuação dos padrões antigos. Não existe progresso real sem o momento da tentação. Entenda isto, até alcançarmos o triunfo pleno sobre os nossos desejos malsãos sofremos na vida, no corpo ou além dele, os flagelos da tentação.

Para um grande percentual de criaturas humanas esse mecanismo da tentação parece coisa religiosa. Soa como alguma coisa mística, algo do diabo, mantém aquela ideia de que o diabo é que fica nos tentando. A verdade é que dentro da capacidade perceptiva que se desenvolve, à medida em que o conhecimento vai nos atingindo os textos sagrados vão abrindo para nós nuances novas dentro da mesma terminologia. Em razão disso, vamos tentar clarear o entendimento a respeito do assunto e descaracterizar esse aspecto místico.

O que é a tentação? Ela é nada mais, nada menos, do que uma disposição de ânimo para a prática de uma atitude contrária ao bem. É uma insinuação e uma instigação de natureza negativa. Podemos mesmo dizer que consiste em uma tentativa de desestabilizar quem está em um plano de ação positiva. Está dando para acompanhar? A tentação surge para tentar desativar e fazer abortar os componentes concebidos pela mente em uma nova faixa, em novos progressos.

Sendo assim, a tentação não derruba ninguém. Percebeu? Ela só tenta. Veremos mais à frente que a queda ocorre por nossa própria conta. A tentação trabalha de forma sutil, não nos tira, por exemplo, de lermos um livro, não nos impede de acessar este blog ou de estudar, tira-nos, sim, a disposição de operar o que um livro ou o blog propõe.

"Ninguém, sendo tentado, diga: de Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta." (Tiago 1:13) Bem, eu acho que a questão aqui está bem clara. De início, é preciso saber que Deus não tenta ninguém. Claro, afinal de contas a tentação é uma insinuação de natureza negativa e Deus, que irradia somente amor, não irradia elementos dessa ordem. E da mesma maneira que Ele não tenta, Ele também não sofre a tentação. No plano universal globalizado Ele é intocável e não existe força alguma presente na estrutura do universo capaz de colocar em risco a sua soberania.

Outro ponto interessante é que de cima não vem tentação. Isso mesmo. Se no plano de onde estamos situamo-nos debaixo do jugo de sofrimento, do plano superior para o nosso não existe um processo de cobrança. Pense no seguinte, Deus não cobra. E tanto não cobra que Ele não sente ofensas. Deu uma ideia? O que existe de lá para cá, do plano de cima para o nosso, é um processo educacional, o que é bem diferente. De cima vem elementos orientadores, vem orientação. Nós sabemos disso, o mecanismo evolucional vem de cima, a evolução não se assenta com base nos padrões já conquistados. Veremos à frente que a tentação não surge de fora, e sim de dentro da nossa própria intimidade. O diabo, personificado nos espíritos negativos, se aproveita da nossa concupiscência para nos tentar.

Portanto, se você estiver recebendo a insinuação de padrões menos felizes, não fique triste não. Fique feliz. O ato de ser tentado não é algo negativo, muito pelo contrário, é positivo. Aliás, é bastante positivo. A tentação, no papel que desempenha no direcionamento ascensional, é instrumento positivo, não negativo.

Só pode ser tentado quem se encontra no caminho do bem. Todo aquele que está tentando criar componentes novos em cima de determinadas faixas de incorporação, ele é tentado. E vamos dizer mais, só é tentado e instigado negativamente quem está tentando dar o passo certo, quem está fazendo esforços no sentido de acertar. O próprio nome já indica tudo, a tentação é uma tentativa de desestabilizar quem está na ação positiva, quem está situado no ponto e no campo positivo da evolução. Sendo assim, até mesmo a atuação de entidades espirituais de menos equilíbrio em relação a alguém na área da influenciação, ou seja, a atuação dos espíritos de curso inferior sob uma criatura que está tentando trabalhar equilibradamente constitui aspecto positivo da caminhada. Como percebemos, a tentação não joga ninguém para baixo, ela não derruba ninguém, ela apenas tenta, a queda é conta da própria individualidade.

Lembre-se que aquele que está sendo assediado está no plano positivo. Ok? Porque aquele que se encontra no campo negativo da vida, aquele que está pisando na bola, fazendo e acontecendo nos aspectos negativos, esse não tem perigo de ser tentado, ele já se encontra embutido na própria tentação, já representa a tentação em si. Veremos mais à frente, de forma mais aprofundada, que a tentação não vem de fora, ela emerge da própria intimidade do ser. Cabe-nos saber por ora que quem está na faixa negativa não corre o risco de ser tentado, pois ele é o tentador. Se ele não estiver sendo assediado ele é o assediador. Satanás, por exemplo, não é tentado, já é o tentador.

E se a tentação é um componente projetor e indutor da evolução, o problema não está na tentação, concorda? O problema não está no fato de alguém ser tentado.

A prece do pai nosso que todos conhecemos, para se ter ideia, não nos diz não nos deixai ser tentados, o que seria, algo anti-didático, não é mesmo? Seria totalmente anti-evolutivo. Ela diz para nós o seguinte: "não nos deixai cair em tentação". Resultado: a dificuldade e a dor não ocorrem por conta da tentação, o desafio é a queda, a dor e a dificuldade ocorrem ao cairmos na tentação. Em todos os textos do evangelho que tratam do assunto nós vamos notar que o problema está na queda de cada qual na tentação. A queda de cada qual dentro dela, a queda diante do impacto dos acontecimentos é que define a situação menos feliz. O cair na tentação é que representa o problema e o estrago total.

Então, fica um recado da maior importância para todos nós: quanto mais a gente quiser progredir mais nós vamos ter que exercitar a capacidade nossa de operar e de manter a segurança ao nível de cautela para que não sejamos tragados pelas próprias faixas circunstanciais da caminhada. Jesus recomenda no seu código de luz não cairmos na tentação, sermos fortes e não sucumbirmos nas faixas negativas diante das dificuldades e tribulações, sejam elas quais forem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...