8 de dez de 2015

Cap 54 - A Lei de Causa e Efeito - Parte 10

A PROFECIA E A PREVISÃO

“54E DIZIA TAMBÉM À MULTIDÃO: QUANDO VEDES A NUVEM QUE VEM DO OCIDENTE, LOGO DIZEIS: LÁ VEM CHUVA, E ASSIM SUCEDE. 55E, QUANDO ASSOPRA O SUL, DIZEIS: HAVERÁ CALMA; E ASSIM PROCEDE. 56HIPÓCRITAS, SABEIS DISCERNIR A FACE DA TERRA E DO CÉU; COMO NÃO SABEIS ENTÃO DISCERNIR ESTE TEMPO? 57E POR QUE NÃO JULGAIS TAMBÉM POR VÓS MESMOS O QUE É JUSTO?” LUCAS 12:54-57

Jesus continua advertindo o ser humano sobre os perigos que o ameaçam: "Quando vedes a nuvem que vem do ocidente, logo dizeis: lá vem chuva, e assim sucede. E, quando assopra o sul, dizeis: haverá calma; e assim procede. Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?"

Diz assim porque nos situamos dentro de uma linha natural de causas e efeitos a que não podemos fugir, onde cada qual sabe que se transgredir a lei divina de harmonia recebe.

O mal que se faz volta. Se destruir, merece. A vida é plantar e colher e tanto no bem como no mal o retorno é inevitável ao autor. Por isso, nós que estamos vinculados em uma escola que indica que em parte conhecemos nosso passado a nível intuitivo, embora não possamos detalhá-lo, temos alguma ideia, dentro do plano de reflexos com quais nos deparamos nos dias de hoje, mais ou menos o que fomos ontem.

É importante estar atento a este ensinamento. Por quê? Simples. Porque as leis do universo, todas elas, são perfeitas, e todos os efeitos presentes já estão calcados em sementes que foram lançadas no solo do encaminhamento da evolução.

Isto é fato, não estamos aqui falando de teoria. A natureza, seja no plano físico ou no plano moral, não age aos saltos. Todos os males que atingem uma pessoa ou a coletividade humana tiveram seus prenúncios. As próprias enfermidades, por exemplo, do corpo ou da alma, são efeitos, não são causas. São consequências de causas muitas vezes alimentadas na intimidade de alguém durante anos.

Eis aí a origem das nossas amarguras. No entanto, só depois que nos sentimos atingidos pelos efeitos menos felizes é que nos despertamos alarmados, chorando, soluçando, gritando e reclamando em vão. Sim, em vão, porque desde que se produz uma causa, até que se manifestem totalmente os seus efeitos, esses hão de persistir até se esgotarem, a despeito de todas as nossas lágrimas, soluços e inconformações. Entendeu essa parte? Você já deve ter observado que quando a chuva começa ela não cessa enquanto não cai a última gota.

A questão das profecias é a seguinte: a profecia é em cima das causas, não é em cima dos efeitos.

Deu para perceber? Vale a pena repetir, porque isso é muito importante. Toda profecia se estrutura em cima das causas, não em cima dos efeitos. E as causas são elaboradas de tal forma que uma vez estruturadas surge o efeito para completar o processo da germinação. Toda profecia é calcada em cima do que se faz, porque o que se faz vai redundar em um acontecimento. As causas são lançadas de tal modo no terreno do destino que nós teremos sempre o efeito a completar a linha do processo. Até os próprios acontecimentos que se relacionam com as revelações das escrituras sagradas, fugindo a qualquer ideia de eventualidade, resultam de programas elaborados nos milênios por aqueles que em nome do criador se responsabilizam pelos mecanismos evolutivos.

Agora, a profecia não tem um papel fechado no sentido de segura as pontas que a coisa vai pegar. Não é por aí. O sentido da profecia é, de certa forma, alertar a cada um de nós quanto ao carma que nós temos. Daí, a gente conclui o quê? Que o futuro não é mais aquela coisa assombrada, envolta nas trevas negras do mistério.

A luz do consolador tem chegado e erradicado as trevas que obscurecem o porvir.

Não há mais surpresas e imprevistos. O futuro será inevitavelmente a ceifa do presente, como o presente é a consequência do dia de ontem. O dia de amanhã será a resultante do dia de hoje. As projeções proféticas são feitas sobre as causas já implementadas no terreno do destino.

E não se assuste, nós também estamos dando de profetas hoje. A profecia representa, em tese, uma visão do que seremos e atingiremos um dia. Ela sempre antecede a culminância dos fatos, é a ante-sala da legítima conquista. Antes de nós vivenciarmos espontaneamente algo e efetivarmos uma conquista nós profetizamos. Quando nós falamos "eu ainda vou ter paciência, um dia eu vou entender isso, eu vou melhorar naquilo, vou chegar naquele ponto", e aí por diante, nós estamos profetizando.

E vamos ser sinceros em uma questão: nós sabemos a extensão das nuvens que nos cercam? Você conhece a extensão das nuvens que envolvem os seus passos? Para qualquer um de nós, em sã consciência, a resposta é não. Nós não sabemos. Mas nem por isso vamos deixar o nosso coração se enegrecer, como sugeriu o próprio mestre. Muito pelo contrário, muitas coisas podem ser feitas no sentido de sanear ou melhorar as expressões mais amplas da lei. Vamos analisar o seguinte, se no plano da humanidade a tecnologia vem melhorando as situações de uma forma geral, desde a sementeira até a colheita, nós também temos condições de melhorar muita coisa em nossa vida pessoal.

E com uma nova mentalidade educacional implementada no campo da evolução, nós começamos a ter informações projetadas no tempo e no espaço antes que o processo apareça. Em qualquer região da terra hoje é possível prever as horas de sombra e de luz. Muita coisa pode acontecer antes que a chuva desabe. Nós temos até tempo de construir guarda-chuva, de construir abrigo e fortificar nossas bases no sentido de minorar as dificuldades. A sabedoria está em saber prevenir. 

Tudo na obra divina se engrena em princípios de harmonia. Assim, no que se refere aos valores espirituais, se o homem conhecer os sinais dos tempos, como conhece os indícios das tempestades e de certos fenômenos da natureza, por observação das nuvens e direção dos ventos, poupará grande carga de sofrimentos.

E mais uma coisa: não vamos nos esquecer de que em cima dos valores já lançados nos terrenos da vida, aliados a uma probabilidade matemática, nem tudo é definitivo e finalístico. Guarde isso. Porque a cada minuto vão se alterando as ressonâncias do que vai acontecendo. Percebeu? É por isso que nem toda profecia pode ser registrada de forma absoluta.

Para você ter uma ideia, no momento em que uma criatura é sensibilizada e modifica a sua linha íntima, com a visualização por exemplo de novos padrões, capazes de mudar a sua conduta, é como se nesse momento esses valores novos se somassem ao seu psiquismo. Então, a cada dia novas oportunidades surgem a todos que querem e buscam melhorar. Sempre podemos mudar o destino, independente de onde estejamos e como estejamos.

Mas temos que ficar atentos a um ponto: quase sempre as legítimas revelações a nível profético vem em cima de um fato que era tido por nós como algo difícil, como um sobrepeso. Isto é muito comum. Por isso, atenção. Às vezes, um acontecimento que para nós tem um sentido de um grande peso, lá na frente é que nós vamos descobrir o porque. É comum alguém dizer lá na frente, após a visão da paisagem saneada pela chuva forte: "Puxa vida, agora é que eu descobri o porque daquele negócio. Agora eu entendo." Você já passou por uma situação assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...