16 de jan de 2016

Cap 55 - O Valor do Trabalho (2ª edição) - Parte 2

O TEMPO É AGORA

“E AGORA POR QUE TE DETÉNS? LEVANTA-TE, E BATIZA-TE, E LAVA OS TEUS PECADOS, INVOCANDO O NOME DO SENHOR.” ATOS 22:16

“PORQUE NOUTRO TEMPO ÉREIS TREVAS, MAS AGORA SOIS LUZ NO SENHOR; ANDAI COMO FILHOS DA LUZ.” EFÉSIOS 5:8

“PORQUE DIZ: OUVI-TE EM TEMPO ACEITÁVEL E SOCORRI-TE NO DIA DA SALVAÇÃO; EIS AQUI AGORA O TEMPO ACEITÁVEL, EIS AQUI AGORA O DIA DA SALVAÇÃO”. II CORÍNTIOS 6:2

É considerável o número de pessoas que se dizem interessadas na lavoura do bem. Que se sentem, de alguma forma, chamadas para as atividades no campo do auxílio. Em todos lugares, em todos as coletividades, interessados aparecem, animados, esperançosos, cheios de euforia. No entanto, a maioria esmagadora deles para começar esperam por algo primeiro. Você sabe como é. Querer eles até querem, mas alegam que não podem iniciar as atividades de imediato. 

Esperam a execução de negócios imaginários, a aquisição de algum poder, a solução de certos problemas, a realização de objetivos imprescindíveis, a posse do dinheiro fácil, a chegada de prêmios fortuitos. Realmente querem fazer, todavia alegam que precisam esperar. Isso quando não alimentam a ideia de que precisam equacionar tudo, resolver todas as dificuldades e obstáculos antes de poderem pensar no semelhante.

O tempo passa e eles esperam. Esperam e esperam.

E quantos esperam em demasia e acabam por nada fazer?! Ou se despertam tão somente no instante da morte corporal, em meio a esperanças perdidas e soluços tardios, quando menos contavam com semelhante visita?!

Uma coisa a gente precisa aprender. Quando, pelo esclarecimento do evangelho, sentirmos o coração chamado à verdade, a salvação já terá efetivamente chegado para nós.

Em tudo há uma ciência de começar. O importante é não ficarmos detidos em frases de choro ou lamentações indevidas, perdendo mais tempo sobre o tempo perdido. Vamos reconhecer, como diz o apóstolo Paulo, que o tempo oportuno para a correção dos nossos erros e aproveitamento da nossa vida chama-se agora.

O momento não é outro. É agora! Não quer dizer que gente tenha que agir correndo, de maneira precipitada e impensada, no entanto não é bom a gente esperar resolver para começar. Sabe porquê? Porque se a gente for esperar a solução de todos os nossos problemas para ser feliz e poder amar nós vamos sofrer demais.

Se formos ficar esperando o saneamento completo do nosso psiquismo no campo dos débitos para iniciarmos as obras, se formos esperar a resolução de todos os problemas que nos afligem, com certeza nós iremos esperar indefinidamente e não iniciaremos nada. Se ficarmos sentados esperando pelas condições ideais para poder servir é provável que nem cheguemos a começar.

Como funciona o mecanismo de entrega de uma mensagem? O mensageiro, em tese, não conhece o que está levando nas mãos. Certo? Ele não sabe do conteúdo, mas uma coisa ele sabe, que ele tem que entregar. Porque se ele não fizer o seu trabalho, que é levar a mensagem, o êxito não é obtido. A vida também acaba sendo mais ou menos assim em muitas situações. Não há muito espaço para questionar o que tem que ser feito. Muitas vezes somos levados a certas posições que nós nem sabemos como vamos fazer. Mas a gente vai e faz. Se formos esperar saber tudo, conhecer as minúcias, como vai ser, como não vai ser, a gente não faz. E não cumpre o papel que nos compete.

Outro ponto importante, que é preciso termos em conta, é que quando nós formos chamados, quando formos convidados especialmente para cooperar, é bem melhor a gente ir. Ok? Quando você for chamado, vai! De maneira resoluta e bem humorada, vai! Sabe por quê? Fica aqui um segredinho interessante. Se a gente não vai eles vem nos buscar. Percebeu? Eles mandam buscar. Isso acontece demais. E sabe como mandam nos buscar? Sabe qual é o portador dessa busca? Os problemas em casa, os problemas de saúde, as dificuldades que chegam à nossa porta de forma mais contundente convocando-nos a certas mudanças.

É certo que todos nós atravessamos obscuros labirintos antes de atingirmos adequado roteiro espiritual. E que em várias circunstâncias erros e enganos nos povoaram a mente com remorsos e arrependimentos. Todavia, isso não deve justificar o choro e a lamentação. Vamos parar de moleza e deixar de alegar tropeços e culpas, inibições e defeitos para a fuga das responsabilidades que nos competem.

Nada de alegarmos fraqueza, inaptidão, desalento ou penúria para desistirmos do lugar que nos cabe no edifício do bem. Se já aceitamos o evangelho por norma de elevação de vida procuremos ocupar nossas mãos em atividades edificantes, a fim de sermos úteis àqueles que necessitam. Bola pra frente. Até ontem podíamos ter estado em trevas, achando-nos na condição do viajante que jornadeia circulado de sombras, tropeçando aqui e ali, sem o preciso discernimento.

Mas hoje não. Hoje, que tudo se faz claro em derredor, fujamos de dramatizar desencantos e fixar desacertos. Chega de queixas e recriminações que complicam e desajudam, ao invés de simplificar e ajudar. Caminhemos para Deus na vertical do aprendizado e ao próximo na horizontal do auxílio e da cooperação.

É óbvio que nós temos que estar bem para fazermos. Temos que estar bem para ajudarmos. Sem estar bem é muito difícil alguém cooperar bem com os outros. Mas nós temos que começar a despertar o nosso sentimento para o campo da cooperação. Se nos afeiçoamos ao Senhor não nos situemos por fora do serviço cristão. Com um detalhe importante: para servir a Deus ninguém precisa sair do seu próprio lugar ou reivindicar condições diversas daquelas que possui.

Todos podem ajudar. Não tem ninguém que fica de fora. Ninguém!

É uma questão de raciocínio. Se a prática do bem estivesse circunscrita aos espíritos completamente bons seria praticamente impossível a redenção humana.

Bastam o sincero propósito de cooperação e a noção de responsabilidade para sermos iniciados com êxito em qualquer trabalho novo. Vamos ficar tranquilos, pois cada qual receberá de Jesus o esclarecimento acerca do que lhe convém fazer. 

Somos aproveitados nas mínimas manifestações que a espiritualidade consegue observar irradiando-se da gente. Iniciemos as obras portando nossas deficiências. Porque colocando a vontade divina acima de nossos desejos, a vontade divina nos aproveitará sempre. Na hora em que trabalhamos interiormente de forma satisfatória, é como se nós passássemos a estar à mercê da destinação inteligente e sábia do criador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...