28 de set de 2016

Cap 58 - Como Estudar o Evangelho (2ª edição) - Parte 7

ATUALIDADE

Em se tratando da questão interpretativa, normalmente algumas religiões tradicionais costumam levar os seus adeptos ou simpatizantes lá para trás, até a época em que Jesus viveu.

Não estamos fazendo nenhuma crítica, mas não é assim que elas fazem? Costumam levar as criaturas hoje até os dias de Jesus. 

Porém, há um detalhe interessante: falar do texto lá atrás não nos interessa mais. Interessa? Não é nosso interesse ficar aqui analisando os textos exclusivamente dentro da fisionomia histórica. Não estamos para estudar a história do evangelho, não estamos estudando com a cabeça voltada para dois mil anos atrás. Isso, sem contar que vai ser muito difícil pegar a contingência do nosso contexto social de hoje, que é totalmente diferente, e tentar jogar naqueles dias da época de Jesus.

As escrituras sagradas, como livro da vida, trazem a expressão globalizada da história do planeta bem como a história individualizada de cada um de nós.

Todos os fatos e ensinamentos presentes nesse livro, embora estejam revestidos de características históricas inerentes ao tempo em que ocorreram, se refletem com muita tranquilidade nos dias atuais e isso se aplica a todos os textos bíblicos, sem exceção. Todos os ensinamentos neles referenciados são atemporais.

O importante nas mensagens, tanto do velho como do novo testamento, é entender que elas são universais e em razão disso apresentam atualidade em qualquer momento. Ficou claro? O evangelho, por exemplo, quer dizer boa nova. Denominação dada a alguns livros por tratarem de notícias inovadoras acerca da chegada do messias e de uma nova era que se abria para a humanidade.

E uma coisa bonita, que tem que ser guardada, é que as suas mensagens são de caráter espiritual, logo, são mensagens universais. E por serem mensagens universais apresentam atualidade em qualquer lugar e momento. Por isso, se você pensar bem, o evangelho tem um sentido de eternidade e de continuidade. Ele é algo do presente e nós vamos sempre bater nisso. Aliás, não vamos nos esquecer nunca: embora apresente milênios é indiscutível o seu caráter de contemporaneidade. O evangelho, nas suas bases, guarda a beleza do primeiro dia.

É por isso que o que Jesus Cristo disse ontem é como se ele dissesse hoje. Entendeu?

O evangelho é algo do presente e o seu conteúdo é a nossa história. Todos os ensinamentos e atos de Jesus constituem lições espontâneas para todas as questões da vida. Com ligeiras modificações, se aplica tanto aos dias em que ele viveu como se aplica hoje aos dias em que estamos vivendo. No imenso conjunto de valores apresentados, cada conceito ou situação se adapta a determinada circunstância do espírito nas estradas da vida. Isso é coisa para pensar.

As dificuldades e os desafios dos homens invariavelmente passam por alguma faceta ou linha que tange aquilo que foi mencionado em alguma passagem do evangelho.

E a missão do evangelho é muito mais bela e mais extensa do que se pode imaginar.

Jesus continua a trabalhar incessantemente. Ele continua derramando bênçãos todos os dias, continua a sua missão sublime de revelar Deus aos homens e de conduzir os homens a Deus. E não se assuste com o que eu vou dizer, mas os prodígios ocultos operados no silêncio do seu amor hoje são ainda maiores do que os verificados ontem. Ok? Mas é o Jesus histórico ou o Jesus interior? Isto é o que nós não podemos perder de vista. É lógico que é o Jesus interior.

Analise uma coisa comigo: a mensagem do evangelho, toda ela, é uma mensagem direcionada ao espírito, certo? Daí, o que estamos fazendo é um trabalho de natureza espiritual. Nós estamos aqui estudando a intimidade do ser, com um percentual maior ou menor de informação. Estamos estudando assuntos da nossa própria estrutura pessoal.

Enquanto as igrejas tradicionais nos levam até Jesus, o que temos que fazer é trazer Jesus para atualidade, saber interpretar toda a mensagem de redenção que nos foi trazida. Não partindo do hoje para o ontem, como tem sido feito, mas trazendo a boa nova para os dias e problemas atuais. O desafio é ir até lá e trazer o acontecimento para o agora. Ficou claro? Temos que ir lá atrás e trazer para cá, ir lá e trazer o evangelho para hoje. O Jesus da Galiléia, da Judéia, da Peréia está lá atrás na história. Concorda? Nós estamos falando agora é no Jesus íntimo.

O que nos interessa hoje é falar de nós mesmos, de nossa vida. Buscar sair do fato objetivo do texto e trabalhar facetas do nosso íntimo dentro do fato. Deu uma ideia?

O que nos interessa é trazer o ensino concreto e fazer uma conjugação de modo  a trabalhar a nossa intimidade. Afinal, é trabalhando o nosso íntimo que adentramos em um caminho novo, mais seguro, mais harmônico, mas próspero, mais feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...