6 de out de 2016

Cap 58 - Como Estudar o Evangelho (2ª edição) - Parte 8

PRATICIDADE

Eu não quero que você fique desapontado ou desapontada com o que vou dizer, mas a lição de Jesus ainda não foi compreendida. 

Isso é a pura verdade. Nós todos estamos cheios de conhecimentos, estamos imensamente teorizados, com a cabeça cheia de informações, porém acentuadamente atrasados na capacidade de operar.

Concorda comigo ou acha que eu estou exagerando? Para exemplificar, vamos observar que se a entrada no reino dos céus estivesse condicionada à assimilação teórica, praticamente nós todos aqui seríamos aprovados e com louvor, já estaríamos batendo asinhas em cima das nuvens faz tempo. Dá até para imaginar algumas questões: O evangelho ensina que a gente deve amar ou agredir? Você está caminhando pela rua e ao se deparar com uma pessoa caída no chão deve estender a mão ou lhe dar um chute? Ao receber uma ofensa você deve revidar com energia ou entender e perdoar o agressor? E daí por diante.

O evangelho não é papo furado de beleza literária, muito menos teoria circunscrita ao campo da esperança. Antes de qualquer coisa, ele é princípio científico.

Jesus não ensinou nada em vão, tudo que ele falou tem uma finalidade. Aliás, ele não nos ensinou procedimentos religiosos e, sim, métodos científicos para o nosso próprio bem viver.

Apresentou muitas expressões simbólicas, todavia na prática não se trata de cerimônias ou rituais. De forma alguma. Trata-se de realidade positiva, de uma potência espiritual capaz de transformar o mundo quando soubermos compreendê-la e entrar em relação com ela. Seguir e viver cada dia melhor o evangelho não é apenas virtude.

O evangelho é para ser aplicado, sentido e vivenciado nas mínimas possibilidades e oportunidades. Seus ensinamentos são lições espontâneas para todas as questões da vida.

Desde a instauração do cristianismo no planeta todas as frentes religiosas vem trabalhando a importância aplicativa da mensagem de Jesus. Nós aqui temos continuamente dado ênfase toda especial a esta questão. Temos vivido períodos de acentuada conturbação no mundo e o evangelho não escapa à exigência da época.

Ou seja, o simples aprofundamento da filosofia não tem atendido as nossas necessidades mais íntimas. Percebeu? Não estamos vivendo mais na época das teorias. A época agora é de fatos, não de teorias. Somos todos hoje, sem dúvida alguma, convocados a não nos contentar com um evangelho descritivo ou histórico fixado no tempo e no espaço.

É impossível alguém conhecer o evangelho, como nós temos buscado conhecer, e ficar ainda preso a concepções filosóficas.

Precisamos do evangelho ajudando a nortear nossos passos e não podemos mais ficar no Jesus pregador. O evangelho é código moral que visa adentrar e trabalhar a intimidade, predispondo a criatura a um trabalho em favor dos que sofrem.

Ficou claro? O que nos interessa intimamente é o evangelho prático, aquele que nos auxilie no dia a dia. No fundo, o que queremos saber é como utilizá-lo para diminuir o sofrimento que nos tem afligido, como utilizar o evangelho para melhorar as nossas relações dentro de casa e com as pessoas em geral, como usar o seu aprendizado para realizar objetivos que são importantes para nós. É isto que é fundamental e nós vamos sempre bater nesse ponto.

O importante não são as colocações teóricas, o importante é a nossa postura dentro disso, com carinho e amor. O grande desafio não é a gente aprender que temos que amar. É por isso que o evangelho representa de algum modo a realização e a caridade. Ele chega para nos ajudar a amar efetivamente. Está dando uma ideia?

Porque não é possível compreender o evangelho sem a nossa integração prática nos exemplos do Cristo. 

O grande lance agora é fazer com que deixemos a posição passiva no contexto da evolução e adotemos uma postura nova de participação efetiva no plano de ajuda e cooperação junto àqueles que estão caminhando no mesmo ambiente de aprendizagem que nós. O evangelho vem definir um chamamento para fazermos aquilo que nós já sabemos e não fazemos ainda.

Na atualidade, vigora a necessidade de uma sensibilização de prática do conhecimento dele na vida comum nossa de cada instante em sua linha ampla de praticidade.

O que estamos fazendo? Estamos aprendendo o evangelho e investindo no evangelho para melhorar a caminhada. É imperioso termos o evangelho nos ajudando a nortear nossos passos dentro da jornada de vida. O código do amor pressupõe a instauração de uma mentalidade nova nos corações para o trabalho em favor dos que sofrem, em favor dos que estão em dificuldades maiores que as nossas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...