27 de mai de 2017

Cap 60 - A Pesca Maravilhosa (2ª edição) - Parte 11

O AMOR É A BASE

É indiscutível que não podemos negligenciar a educação da inteligência na tarefa a realizar, no entanto, também não podemos esquecer que temos que lidar a todo o tempo com a sensibilidade dos outros. E o nosso processo operacional não pode ser ao nível da insensibilidade nesse particular.

Ao tentar ajudar as pessoas nós temos que trabalhar com os seus sentimentos e as suas emoções, interferindo inclusive, muitas vezes, nas próprias linhas direcionadoras da vida delas. Nós ganhamos muito na faixa de cooperação quando mantemos a capacidade de trabalhar os ângulos de sentimentos das pessoas. Temos que nos lembrar a todo tempo que estamos mexendo na alteração de vida de muitos indivíduos. Por isso, ensinar, esclarecer, transmitir e cooperar envolve um alto grau de sensibilidade, saber o que se passa no coração das criaturas.

Quem tem estudado com profundidade tem compreendido que sempre existe uma fagulha profunda de amor manipulando a capacidade de compreender, de sentir, de amar e de operar. Sem o que fica impossível. De maneira que vamos ter isso em conta. O amor é a base para realizar de forma legítima qualquer coisa. Ele é a força que transforma o destino.

Os grandes expositores, os orientadores, os clareadores da mente, os professores, enfim, todos os que têm um papel importante na linha educacional, tem que ter uma profunda dose desse sentimento. Jesus por exemplo, para se ter uma ideia, o nível de sentimentos dele é tão ampliado que nós sequer conseguimos imaginar o seu alcance. Quando ele falava lá no sermão da montanha, ou em tantos outros que ele fez, ele falava com o quê? Com amor. Então, isso se aplica a todos de uma forma geral, se aplica a nós também. O educador, se ele não amar ele pode ter a melhor técnica do mundo, mas ele não tem autoridade.

E não existe educador efetivo sem amor. Sem amor não se consegue. Só os que amam conseguem atingir as causas profundas. Todo o nosso trabalho com terceiros tem que ter uma alta dose de amor interior. Porque uma coisa é fato: se o conhecimento auxilia por fora, só o amor socorre por dentro. De forma que quem quiser ajudar os outros utilize amor nas suas emissões, porque só o papo, só a conversa, não resolve o problema do nosso plano operacional. Deu para entender o que estamos falando?

É muito comum a gente achar que quando o assunto é auxiliar alguém no crescimento espiritual a conversa é o componente básico e finalístico, capaz inclusive de gerar mudança de parâmetros dentro desse coração. E a coisa não é bem assim. Não é apenas pela utilização da palavra e da persuasão que se vai garantir uma melhora significativa no psiquismo de alguém. É óbvio que a verbalização é um instrumento inarredável. Pela linha verbalizada é possível distribuir sementes valiosas. A palavra é uma porta excelente que se abre. Nós podemos pela utilização positiva dela ajudar, e muito, e até mesmo dar passos importantes com a outra pessoa, todavia nem sempre o processo verbalístico por si só resolve. Percebeu?

É preciso alguma coisa a mais. Alguma coisa que se veicula na palavra, de uma profunda capacidade magnética, de envolvimento. De um magnetismo positivo, sensibilizador e fortalecedor, que direcione em sua essencialidade uma dose de amor.

O sistema mais eficiente para poder despertar os outros não é tanto pela manifestação verbal, mas principalmente pela exteriorização do sentimento profundo, da forma de ser da individualidade, dos padrões que se pode irradiar e que fazem o papel de sensibilização. Então, a proposta deste estudo visa acima de tudo a nossa linha de sensibilização. O magnetismo tem que ser trabalhado e fundamentado em uma profunda disposição de cooperação, de ajuda e de auxílio.

E por que tem que ser assim? Por uma razão muito simples: o caminho para Deus passa pelas portas do coração. Percebeu? Somente um coração tem o poder de tocar um outro coração. E no topo de toda a estratégia de sensibilização vigora os planos vibracionais, que é onde estão situadas as faixas capazes de despertar o ser para a sua proposta de redenção. E tanto é assim que existem criaturas que nós não conseguimos sensibilizar, outro não consegue, o terceiro também não consegue, e o que acontece? Vem um que consegue.

Somente o amor é capaz de tocar e sensibilizar um indivíduo. 

Porque não são as palavras que convencem, o que convence é o sentimento. O conhecimento direcionado por alguém que educa tem que ser direcionado juntamente com uma sensibilização. Está dando para acompanhar? A autoridade capaz de sensibilizar um coração vem da circulação profunda das vibrações de amor. O coração que ama vive cheio de um poder renovador.

Repare em uma coisa: é comum nós lembrarmos de coisas que nos são mostradas, certo? Todavia, nós entendemos mesmo é quando somos envolvidos. 

Percebeu? Existem muitos benfeitores e companheiros que avançam e que basta emitirem uma faixa vibracional positiva ou direcionarem um olhar e nós nos desmanchamos. Não acontece? Por que tem o que nisso? Vigora um poder magnético, uma autoridade capaz de mexer nas nossas fibras mais profundas, convocando-nos a uma posição diferente. Quando a pessoa ama, a gente sente quando ela olha para nós e fala com autoridade. O amor dela canaliza. Quando a gente conversa com alguém que conhece, que tem afetividade e amor dentro de si, é comum esse alguém chegar, soltar umas poucas palavras e mexer na nossa intimidade. Então, vamos pensar nisso.

Outro ponto interessante é que quanto mais uma pessoa nos ama mais ela testemunha em nosso benefício. O testemunho dela representa uma mensagem de sensibilização em nós, nos sensibiliza e cria uma concepção psíquica. É como se algo instaurasse dentro de nós. Aquilo nos toca e começa a fertilizar, começa a dar campo a uma germinação interior. Começamos a sentir a necessidade de corporificar o valor que foi fixado pela assimilação mental e a vivenciá-lo no campo prático da vida. Às vezes, uma emissão simples dessa criatura, como um olhar direcionado para a gente, já comunica e nos dá a coragem para que possamos desvincular determinadas situações menos agradáveis.

E quanto maior for o nosso grau de compreensão e de amor, mais capacidade de entendimento e de penetração nós vamos ter no trato com as coisas, fatos, situações e pessoas. Quanto mais sutil for a nossa expressão de amor, mais ela será capaz de instaurar sistemas e processos de atendimento. Por isso, quando começamos a deixar expandir de nós fatores magnéticos positivos, passamos a ter a capacidade de sensibilizar corações. E quanto mais amor no nosso íntimo, menos envolvimento negativo nas relações interpessoais nós vamos ter, menos sujidade e menos poeira vamos trazer delas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...